HELENA SILVA

Ah!… olha esta gente tão sozinha!
Ah! é tanta gente tão sozinha!

Helena Silva – junta o arroz na igreja onde o casório rolou… e ela sonhou.
Vai pra janela, usando a cara pintada pra quem vive a esperar – pra quem será?

Esta gente, tão sozinha, de onde todos vem?
Esta gente, tão sozinha!… Eles vivem pra quem?

Padre Teixeira – tá escrevendo o sermão que ninguém quer escutar – ninguém vai lá!
Olha o trabalho – noite a dentro, pensando no que deve dizer – me diz: pra quê?

Esta gente, tão sozinha, de onde todos vem?
Esta gente, tão sozinha!… Eles vivem pra quem?

Ah!… olha esta gente tão sozinha!
Ah! é tanta gente tão sozinha!

Helena Silva – morreu na igreja e seu nome pra cova levou – ninguém chorou!
Padre Teixeira – limpando as mãos. Foi mais uma que ele enterrou… e não salvou!

Esta gente, tão sozinha, de onde todos vem?
Esta gente, tão sozinha!… Eles vivem pra quem?

Ah!… olha esta gente tão sozinha!
Ah!…

Anúncios