– Novo Hamburgo – 17/05/17 –

Meu apetite para a política tá cada vez mais para o fastio, já quase chegando ao enjôo. Mas, parece mesmo feito cachaça… pra curar ressaca, ao invés de se afastar dela, a gente toma mais uns goles. Ontem à noite, fui à Prefeitura, para uma grande reunião da Secretaria de Educação com pais que participam das Apemens de Novo Hamburgo. Não vou fazer de conta que estava esperando algo novo e fui surpreendido pelo velho discurso, nem o contrário. Simplesmente, como eu esperava: de novo, o velho… o velho, novamente!

Bacana a secretária de Educação, Maristela Guasselli e a prefeita 20 por cento dos eleitores de Novo Hamburgo, Fátima Daudt, terem se disposto a apresentar um detalhado relatório dos problemas e planos para esta área. Bacana, mas a apresentação absolutamente previsível… Previsível, por exemplo, terem dado a entender que todos os problemas tem exatos oito anos de idade, curiosamente, o tempo de gestão dos adversários políticos que os antecederam.

Chegou a ser patético a secretária ter falado em tom de escândalo que uma escola infantil, a Pica-Pau-Amarelo, era uma armadilha terrível, pronta para causar uma enorme tragédia porque só tem um portão de entrada e saída, que coincide com o leito de um arroio que pode transbordar em dias de enxurrada, como aconteceu há cerca de dois meses. O prédio foi desativado e a Escola instalada em endereço mais seguro. Ótimo! Beleza! Parabéns! A arapuca, porém, tem bem mais de oito anos. Esteve armada também durante os quatro anos de gestão da secretária quando serviu ao governo municipal, de 2005 a 2008.

Bacana terem se referido ao investimento de R$ 5 milhões para recuperar vários problemas crônicos de estrutura física das escolas municipais. Só que, do jeito que informaram… parece que finalmente chegaram os salvadores da competência… Finalmente apareceram os recursos necessários para os investimentos necessários. Mas não é bem assim… Que bom que vão fazer os reparos mas, por outro lado, que ruim que os recursos sobrem, em parte porque a administração municipal não está mais bancando o programa Mais Educação, que oferecia atividades de contraturno para um número importante de crianças matriculadas na rede pública municipal. Só resta uma escola, ainda, com este programa.

Sabem? Não é que a secretária e a prefeita sejam pessoas horríveis Nada disto, a secretária Maristela já fez um bom trabalho na sua primeira experiência neste posto. A prefeita, por sua vez, tem demonstrado que não reza cegamente pela cartilha tucana. Está propondo um aumento salarial um pouco acima do índice de inflação, por exemplo. Tem uma proposta de valorização da Cultura, mesmo que tenha um viés mais empresarial e espetaculoso, menos comunitária, diferente do que eu imagino ser o ideal… mas positiva, muito positiva, mesmo assim. Por outro lado, as gestões anteriores também tiveram suas atitudes politiqueiras.

É só que… ai!… quando é que a gente vai ter uma verdadeira novidade?

Obs. 1 : Pessoa da minha confiança que trabalha na SMED me observou que há mais de uma escola mantendo o Programa Mais Educação, mas num formato diferente, reduzido e com o nome “NOVO” MAIS EDUCAÇÃO. Bem, aí é muita NOVIDADE mesmo! Podiam ser mais criativos, dizendo MENOS MAIS EDUCAÇÃO, por exemplo.

Obs. 2 : Outra pessoa, também servidora na SMED, me informa que o que foi encerrado foi o Programa Escola Aberta, que consistia na abertura de algumas escolas em fins de semana. Enfim…

Anúncios