Netinha de voz (e alma) cristalina pediu meus dedos emprestados, para produzir uma obra de arte.

Emprestei. Ela trabalhou, compenetrada e, em menos de cinco minutos, me apresentou o resultado.

– Olha Vô: é a Família Dinossauro! Não é apavorante?

Eu fiquei lembrando de uma canção do Homem Arara:

 

“Tu tem dois ‘zoinho’ que ‘brilha’

que, nem se tivesse uma pilha’

brilhava com tanta emoção.

 

E, mesmo que eu ‘teje’ sozinho,

eu sinto que estes ‘zoinho’

clareia minha escuridão.

 

É claro, claro: teus olhos me fazem ver claro”.

Anúncios