– Novo Hamburgo – 21/03/17 –

1 – Reduz salários – O salário do trabalhador terceirizado chega a ser 24% menor do que o dos empregados regulares, segundo o Dieese. Também trabalham mais, em média, 3 horas a mais por semana.

2 – Causa desemprego – Como consequência, o número de vagas deve cair em todos os setores.

3 – Aumenta riscos de acidentes – Mais de 80% dos mortos em serviço na Petrobrás entre 1995 e 2013 eram subcontratados. Companhias de menor porte não têm as mesmas condições para dar segurança aos seus empregados, além de receberem menos cobrança e fiscalização.

4 – Discrimina – Com refeitórios, vestiários e uniformes que diferenciam o terceirizados, incentiva-se a percepção discriminatória de que são trabalhadores de “segunda classe”.

5 – Enfraquece a luta dos trabalhadores – Com patrões diferentes e representados por sindicatos distintos, os terceirizados são isolados, dificultando terrivelmente as negociações conjuntas e as mobilizações.

6 – Aumenta a exploração – Entre 2010 e 2014, cerca de 90% dos trabalhadores resgatados nos dez maiores flagrantes de trabalho escravo contemporâneo eram terceirizados, conforme dados do Ministério do Trabalho e Emprego. Casos como esses já acontecem em setores como mineração, confecções e manutenção elétrica.

7 – Protege os maus empregadores – Fica mais difícil responsabilizar empregadores que desrespeitam os direitos trabalhistas porque a relação entre a empresa principal e o funcionário terceirizado é distante e difícil de ser comprovada. Em dezembro de 2016, o Tribunal Superior do Trabalho tinha 15.082 processos sobre terceirização na fila para serem julgados e a perspectiva dos juízes é que esse número aumente.

8 – Estimula a corrupção – Casos como o do bicheiro Carlos Cachoeira e do ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda envolviam a terceirização de serviços públicos.

9 – O Estado arrecada menos e gasta mais – Como o trabalho terceirizado transfere funcionários para empresas menores, beneficiadas por cargas tributárias menores, a arrecadação do Estado é reduzida. Ao mesmo tempo, a ampliação da terceirização irá provocar uma sobrecarga adicional ao SUS (Sistema Único de Saúde) e ao INSS.

As alterações na legislação trabalhista que visam permitir a terceirização de atividades-fim estão sendo votadas a partir de hoje, em Brasília.

Sentindo o crescente poder de mobilização da Sociedade na greve pela defesa da Previdência Social e pela Educação Pública de Qualidade, o golpismo acelera a votação de reformas anti-populares e busca distrair a opinião pública através da desinformação do grande jornalequismo.

O blog do SindProfNH é uma boa fonte de informação para quem não quer ser embrulhado. Busquei ali informações suficientes para alertar contra a terceirização. Busquei nele as informações que, por sua vez, foram reproduzidas do site Repórter Brasil ( http://reporterbrasil.org.br/ ).

O blog observa que outros projetos visando tirar direitos e conquistas dos trabalhadores estão tramitando. Em nossa AGENDA – lutas e prazeres, publicamos a relação dos e.mails dos parlamentares da base do governo, para facilitar o envio de mensagens alertando-os para as consequências dos seus votos. Guarde, porque vai ser muito útil.

E, volta e meia, consulte os blogs e sites dos Sindicatos combativos. Informação é fundamental nesta hora.

http://sindprofnh-noticias.blogspot.com.br/

http://bancariosnh.com.br/

 

Anúncios