Para hoje, às 14h45, em frente à Câmara de Vereadores, está convocado um ato pela manutenção de área verde (e protesto contra a aprovação de um grande empreendimento imobiliário na área que já abrigou o Estádio Santa Rosa, do Esporte Clube Novo Hamburgo, no bairro do mesmo nome).

A demanda tem apoio do Movimento Roessler para Defesa Ambiental, que fundamenta sua posição em três argumentos:

1 – é a única área verde do bairro e a maior da região;

2 – sua transformação num grande condomínio habitacional pode trazer uma série de impactos aos atuais moradores e se refletir em outras áreas da cidade, aumentando, por exemplo, as inundações ao longo do arroio Luiz Rau;

3 – Já existe fauna silvestre na área – verificou-se a existência de corujoas corujas buraqueiras vivendo no local, animal raro em zonas urbanas.

Já ouvi muita crítica a esta demanda, de diferentes correntes de pensamento político, até o argumento de que o bairro Santa Rosa é de gente rica, como se ter mais ou menos dinheiro justificasse mais ou menos direito à cidadania.

O argumento mais sensato é de que a transformação da área num parque público exigiria um investimento muito alto para os combalidos cofres públicos, já na desapropriação da área.

Por outro lado, o impacto de qualquer empreedimento imobiliário de grandes proporções também acaba custando caro ao município. A ampliação súbita da população local vai interferir fortemente no sistema viário da cidade, pois está próximo de duas vias importantíssimas (Nações Unidas e 24 de Maio) que, aliás, tendem a receber um fluxo crescente de trânsito, em razão da rápida densificação da parte leste do bairro Rincão.

O impacto sobre o escoamento das águas também não pode ser desconsiderado. Veja-se o que já acontece na rua Epitácio Pessoa (bairro Primavera, dando acesso à Escola Liberato Salzano), por exemplo, onde a canalização se deteriorou a partir da construção de um condomínio habitacional, algumas dezenas de metros morro acima. Ou o que aconteceu com a canalização do bairro Jardim Mauá, em consequência do Condomínio Week End.

É de considerar, porém, que a transformação da área num parque também terá seus efeitos. Pode demandar novos investimentos em segurança pública, por exemplo. E, transformando-se no que a comunidade sonha, certamente irá valorizar muito os imóveis do entorno. Os moradores aceitariam um pequeno acréscimo no seu IPTU – Imposto Predial e Territorial Urbano, para ajudar no custeio deste grande benefício?

 

 

 

Anúncios