– Novo Hamburgo – 10/03/17 –

Um dos bons encontros que o projeto da Casa Aberta Clube da Esquina já me proporcionou foi com um povo que se organiza para viabilizar o consumo solidário, responsável, coletivo, sustentável (… me faltam os adjetivos), aqui em Novo Hamburgo.

Tive contato com eles há duas ou três semanas, na primeira reunião da Casa e ontem fui conferir seu trabalho. Estavam justamente ocupando a frente do prédio, na rua Casemiro de Abreu, esquina com a Nicolau Becker, mostrando a força dos dois projetos (de uma cooperativa de consumo de produtos orgânicos e o da própria Casa Aberta).

São cerca de 80 pessoas (cada pessoa com uma família) organizadas em torno deste projeto. Todos os meses, através do site cirandas.net/nh, na última semana do mês, elas fazem suas encomendas. Na semana seguinte, sempre às sextas-feiras, à tardinha, buscam os produtos encomendados.

Já são mais de 300 os ítens à disposição, todos de 20 produtores orgânicos certificados, do município, região e Estado. Entre eles, muitas cooperativas. Há uma, por exemplo, sediada no bairro Cristo Rei, em São Leopoldo, que fornece produtos de limpeza obtidos com reaproveitamento de azeite. Também é fornecedor o povo do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) através do assentamento de Nova Santa Rita.

Segunda-feira (próximo dia 13) acredito que será oficializada a participação deste movimento no projeto da Casa Aberta (a reunião começa às 19h00 e vai definir espaços, projetos, participantes e mais alguns etcs.).

Tomara! Porque esta cooperativa vai dar potência à Casa e vai ser potencializada por ela. O espírito do grupo é francamente cooperativo, solidário, agregador e inclusivo. E já é uma façanha conseguir coordenar uma ação que congrega 80 famílias.

Mas, Novo Hamburgo tem perto de 250 mil habitantes… Tem muito campo pra ser cultivado… Tem muito ainda que pode ser feito.

Já dei o endereço do site, pra quem quiser contato. Repito, pra facilitar a vida:

cirandas.net/nh

Anúncios