– Novo Hamburgo – 09/03/17 –

Vamos começar olhando umas fotos.

A primeira é uma coletânea do que aconteceu em todo o mundo. Teria muito mais fotos espetaculares, de tudo que é canto do planeta. O resumo é o seguinte: não houve outra manifestação coletiva de escala mundial tão vigorosa e densa quanto a do dia de ontem.

A segunda…

MULHERES SAO PAULO 3

… é um close mostra a impressionante manifestação de São Paulo.

O conjunto de imagens traz à tona a diferença que o crescente processo de conscientização da mulher está fazendo na vida e nas perspectivas políticas, em todo o mundo. E evidencia que estas manifestações não são apenas genéricas, mas tratam de problemas e lutas específicas das mulheres de cada lugar e cada país.

No Brasil, junto com a não imaginada reação da juventude, foi a participação e a ação das mulheres que deram os primeiros impulsos da luta contra o Golpe midiático e institucional em curso contra os direitos do povo brasileiro.

As duas fotos seguintes falam de outras diferenças. Compare a manifestação sobre o Dia Internacional da Mulher promovida pela Prefeitura de Novo Hamburgo…

MULHERES PREFA

… com o que rolou no resto do mundo. Não só a diferença numérica, mas também e especialmente a diferença de conteúdo, expressa nas faixas e pirulitos e na própria postura da manifestantes.

… vale a comparação desta postura também com a de outras mulheres hamburguenses…

MULHERES HAMBURGUENSES

… que foram à capital do Estado para dar mais potência a uma manifestação de que participou gente de todo o Rio Grande do Sul.

Esta é a diferença que está invadindo o espaço político de Novo Hamburgo. A prefeita Fátima Daudt, mesmo sendo em mulher, por suas convicções e compromissos ideológicos tucanos não tem como ir fundo em todas as questões que afetam a vida das mulheres reais da cidade.

Assim, para o próximo dia 15, está convocada uma greve geral, brasileira, em defesa da Previdência Social, severamente ameaçada por um projeto arrasador de reforma, que o governo ilegítimo de Michel Temer tenta aprovar a toque de caixa. Em Novo Hamburgo, é provável que os professores municipais sejam uma das categorias que mais irá mobilizar sua base.

A prefeita tucana tem o direito de acreditar que esta reforma da previdência seja necessária e benéfica para o país. Na posição de prefeita, porém, será que ela vai aceitar o direito de aderir à paralisação dos professores e professoras (grande maioria) do Município? Não será cobrada por seus parceiros políticos pela atitude que irá tomar?

O SindiProfNH já realizou assembleia e confirmou que a categoria irá parar dia 15. E enviou comunicado oficial à Prefeita. Em seu chamamento à base, o SindProf é extremamente claro:

“Paralisar as atividades é um direito de todos. Inclusive quem está em estágio probatório, não pode sofrer nenhuma retaliação ou influência negativa na avaliação em decorrência da adesão à paralisação.” Veja o blog do Sindicato: http://sindprofnh-noticias.blogspot.com.br/

Sua postura fará diferença na qualidade do diálogo com o segmento mais organizado e consciente do funcionalismo público municipal.

Anúncios