– Novo Hamburgo, 03/03/17 –

Já faz pouco mais de um ano que a Praça 20 começou a ficar bem mais bonita. Simplesmente porque mais limpa.

Não é mérito de nenhum governo, mas de uma pessoa, com nome, sobrenome, endereço e história:

Anselmo Rodrigues de Matos, bem representativo do povo hamburguense, nascido em Frederico Westphalen, afeito ao trabalho duro da roça desde criança, migrante vindo para estas bandas do Rio Grande em busca de trabalho e sobrevivência, hoje morador da Vila Getúlio Vargas, em Canudos ( uma das que, graças à ação dos governos petistas de Tarcísio e Luís, não mais ficam alagadas a cada chuva de um pouco maior intensidade. ).

Ano retrasado, quando ele começou a trabalhar na praça, puxou conversa comigo, preocupado com a prática de acumular folhas secas junto às árvores, com o objetivo de produzir adubo.

– Isto pode ser bom pra fazer adubo, mas vai dar fungo nas árvores. 

Quando falei com o pessoal da Secretaria do Meio Ambiente sobre esta preocupação, a orientação já estava sendo mudada. Acho que seu Anselmo tinha razão.

De qualquer forma, a preocupação dele com as árvores e com a praça era uma coisa de seu cotidiano. Ele sempre fazia um pouco mais do que sua obrigação.

Ontem, voltando a encontrá-lo, descobri que este pouco mais do que sua obrigação é o que ele justamente entende como ser sua obrigação.

– A gente sempre precisa fazer um pouquinho mais, porque eu fico pensando que eu estou trabalhando é pra fazer a praça mais bonita pra todo mundo. 

Anselmo Matos é um trabalhador. Ele faz nossa vida melhor. Simples assim.

Pela idade, acho que ainda vai conseguir se aposentar. Será?

Obs.: fiquei sabendo agora (dia 05/03), através de um comentário no feissebuque, do Juliano Braz, que foi vizinho dele: o Anselmo Matos também toca violão… e toca que é uma maravilha!

Anúncios