Um dos pontos mais “Velha Política” da gestão da prefeita 20 por cento de Novo Hamburgo, a tucana Fátima Daudt, é seu continuado esforço para passar a ideia de que recebeu uma herança terrível do prefeito anterior, o petista Luís Lauermann. Bem, nenhum prefeito do país recebeu  um paraíso do seu antecessor. Novo Hamburgo, porém, comparado com a maioria dos municípios, parece realmente ter alguns anjinhos tocando harpas e cantando com voz maviosa.

O prefeito Luís não deixou que os salários do funcionalismo tivessem seu valor desatualizado, não atrasou pagamentos e não endividou a cidade além dos limites sustentáveis. É o que ficou evidente, na última sexta-feira, quando a contadora Angelita Nazário apresentou o relatório de metas fiscais da Prefeitura para o terceiro trimestre de 2016 (avaliando o período entre outubro de 2015 e 2016) à Comissão de Competitividade, Finanças, Orçamento, Economia e Planejamento da Câmara Municipal.

Em resumo, neste período, o Município arrecadou R$ 873 milhões e gastou R$ 833 milhões. A arrrecadação e a despesa foram bem menores do que o previsto na Lei Orçamentária, mais de R$ 150 milhões. Ou seja: o Município arrrecadou bem menos do que o previsto, mas a gestão do prefeito Luís foi extremamente eficaz em controlar os gastos.

Detalhe, a arrecadação do Município foi maior do que a prevista. A queda violenta resultou foi do tombo dos repasses dos governos estadual e federal.

Para o Orçamento de 2017, a equipe da prefeita tem se queixado de que há um “rooooombo” de R$ 50 milhões entre a receita prevista e aquela que eles estimam que será realizada. Bah! Como se esta gente, cancheira e experimentada nas finanças municipais, não soubesse que o descompasso entre o previsto e o realizado é absolutamente normal na vida administrativa – tanto pública como privada.

Não quer dizer que a administração do prefeito Luís tenha sido uma maravilha. Ele cometeu muitos erros, sim, como cometem todos os prefeitos humanos do planeta. Um de seus grandes erros, na minha opinião, foi não ter conseguido mostrar à população o tamanho das dificuldades financeiras que ele enfrentou e soube superar.

Por todas estas, é recomendável ouvir com cautela as queixas e denúncias que vem da nova gestão. Em tudo pode haver verdade, mas pode existir também – como os fatos tem sugerido – aquela vetusta, antiga, ultrapassada, velha política…

Anúncios