Novo Hamburgo –

Aconteceu ontem nova reunião do Sindicato dos Professores Municipais de NH com a administração municipal. A conversa andou. O SindProf foi recebido pelo veterano Assessor do Gabinete Ruy Noronha, conhecido e cancheiro em negociações com o funcionalismo e pelo Secretário da Fazenda, Gilberto dos Reis, igualmente sabido e experiente. O foco principal da reunião foi o Projeto de Lei sobre a Reclassificação, atualizando e regularizando a remuneração de muitxs profes do município.

Por enquanto, a Administração diz que precisa mais dados para avaliar a situação e o SindProf sugere caminhos para buscar as informações necessárias. Semana que vem, a reunião avança e, pra saber mais e melhor, sugiro a melhor fonte: o blog do Sindicato –

http://sindprofnh-noticias.blogspot.com.br/

Aliás, também é ótima a explicação do blog sobre a Reforma da Previdência.

Mas o foco deste artigo é observar que, embora a Administração da prefeita 20 por cento de Novo Hamburgo esteja mostrando disposição para conversar, vai ter greve dos professorxs municipais. Na Assembleia Geral da categoria, realizada na última terça-feira (dia 21), foi decidida a adesão do Sindicato à Greve Nacional da Educação, convocada para o dia 15 de março.

O fato ajuda a compreender como as grandes questões nacionais começam a entrar no cotidiano da vida hamburguense. A prefeita Fátima, por exemplo, está mostrando boa disposição para o diálogo com xs professorxs, mais vai precisar de muita sabedoria para lidar com esta situação. Seu partido apoia o governo Temer e vê com bons olhos a Reforma da Previdência. Xs professorxs, por outro lado, estão muitíssimo preocupadxs com as consequências desta reforma.

Para elxs, esta é uma questão central. A charge, na abertura deste artigo, publicada no blog do SindProf NH dá a medida exata do que estão pensando sobre o assunto.

Até que ponto a Administração reconhecerá como direito da categoria aderir à greve nacional é uma questão que pode azedar relacionamentos.

Anúncios