Novo Hamburgo –

Do jeito que a coisa anda, estas tempestades vão deixar de ser notícia. É uma atrás da outra. O que mais importante tenho a dizer sobre este aguaceiro de hoje é o que disse sobre o aguaceiro que deu naquela tragédia, em Rolante: leiam o livro do José Lutzemberger, “Crítica Ecológica ao Pensamento Econômico”.

O resto é quase só pasmaceira. Olhem as fotos. A que ilustra o artigo é da av. Nações Unidas, no mesmo nível do arroio Luiz Rau.

As outras duas são da av. Primeiro de Março. Preciso comentar?

Não consegui ir ao bairro Santo Afonso, que é o mais baixo da cidade. Imagino apenas a tristeza. De qualquer forma, tenho certeza que hoje, pela primeira vez na vida, muita gente experimentou o desespero de ver suas casas invadidas pela água.

Dá para dimensionar a importância das obras das administrações petistas anteriores, visando conter este flagelo.

Dá para dimensionar também o nível de insanidade da nossa civilização industrial, lembrando que isto é apenas o começo do flagelo.

Dá para dimensionar o nível de insanidade do novo governo norte-americano, do pato Trump, achando que aquecimento global é uma invencionice de alguns cientistas que querem atrapalhar o desenvolvimento do Estados Unidos.

E a partir de hoje, a prefeita Fátima Daudt não dorme mais quando o tempo ficar escuro lá pras bandas oeste. Hoje foi seu batismo de fogo. Milhões de Reais escorreram literalmente pelo esgoto. Não vai dar uma semana e o pessoal já vai estar reclamaando que ela não dá conta de consertar os estragos.

Boa sorte, Prefeita.

Anúncios