Novo Hamburgo –

Eu, que sou um cara dos bem usadinhos, cheguei aos 65 e busquei meu direito de andar de ônibus de grátis. Pedi meu cartão, ficando na fila direitinho (aproveitando o atendimento preferencial), mostrando carteira de identidade e prova de residência… e fui ao mundo, todo feliz, mas…

a moça que me entregou o cartão explicou que ali estavam cento e vinte passagens, com validade até julho deste ano. Isto são 180 dias, menos que uma passagem por dia, mas …

pensei que não vou usar tantas passagens e tentei desistir de pensar no assunto. Mas ficou me cutucando que eu estava sendo egoísta. Para muitos idosos estas passagens são bem mais importantes do que para mim.

Será que estas passagens não deveriam ser concedidas de forma ilimitada? Pra que esta burocracia, de ter que renovar o cartão?

Tentei espantar estas preocupações da cabeça e, no dia seguinte, de manhã, fui ao bairro Santo Afonso, de ônibus… de graça. Encostei o cartão num sensor que fica ao lado do cobrador (ou do motorista, em linhas que trabalham sem o cobrador) e a catraca liberou…

Eba! Depois fui ao Centro, depois a Canudos, voltei ao Centro e, no fim do dia, pequei o Canudos Esmeralda. Encostei o cartão no sensorzinho e ele começou a bipar.

Ué?

O cobrador me explicou: o senhor ultrapassou o limite de quatro viagens diárias. Amanhã o senhor pode pegar o ônibus de graça, de novo. Hoje, o senhor vai ter que pagar…

Paguei, né?

Mas, aí, cheguei em casa e fui pesquisar as leis do Município, pra ver se estava previsto algum limite ou alguma burocracia na concessão de passagens gratuitas para os idosos.

A Lei Municipal que regula o assunto é a 64/90, de 02 de agosto de 1990, com dois parágrafos acrescentados em 31 de maio de 1995. Salvo erro meu, não há alterações posteriores. 

Dá uma olhada:

lei-passe-livre-03

A lei não diz uma palavra sobre limites ou controles burocráticos. Pelo contrário, os parágrafos acrescentados apontam para a facilitação do exercício do direito dos idosos.

Pode me faltar informação sobre o assunto, mas exerço o direito de perguntador público: existe base legal para os limites e controles que as empresas de transporte coletivo estabeleceram?

Peço socorro aos vereadores, especialmente Enio Brizola e Nor Boeno (a ordem é alfabética), que são do meu partido, e ao Felipe Kuhn Braun que, embora muito jovem, tem um diálogo muito profundo com os idosos do município e nutre especial carinho por eles.

O MUNDO DÁ MAIS UM PASSO NA DIREÇÃO DO APOCALIPSE”

Tenho que recomendar a leitura deste artigo: http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Internacional/O-mundo-da-mais-um-passo-na-direcao-do-apocalipse/6/37639

Desculpem, mas é da função do jornalista mostrar o que está acontecendo de importante para a vida de cada um de nós. E isto é importante.

A denúncia é de uma organização chamada “O Relógio do Fim do Mundo”, criada em 1947 por um grupo de cientistas em que hoje se contam 15 ganhadores do Prêmio Nobel.

Segundo eles, nunca estivemos tão perto de uma tragédia nuclear e climática capaz de exterminar a humanidade e até a vida no Planeta Terra.

Com a eleição e posse do Troglodita Donald Trump na presidência dos Estados Unidos, dizem os cientistas, as duas ameaças – o desastre nuclear e o desastre ecológico – nunca estiveram tão perto de nós. 

Mas tem gente que acha bobagem a gente se preocupar com o Trump…

… como se o planeta não fosse nosso!

A EFICIÊNCIA DA RGE

Já comentei, há alguns dias, que boa parte da impressão de que a cidade virou um canteiro de obras se deve a que, desde janeiro, a RGE (que substituiu a AES Sul na distribuição de energia elétrica em Novo Hamburgo) está em atividade super intensa na substituição de velhos e podres postes de madeira por unidades feitas em concreto armado.

Ótimo para a cidade, que sofria demais com as interrupções de abastecimento a cada vento mais forte, que derrubava postes em tudo que é canto.

Ponto para a eficiência da nova concessionária, com certeza.

Descubro, agora, que a nova concessionária também é mais eficiente que sua antecessora na cobrança das contas de luz. Com a AES Sul, era feito o corte de aviso (aquele em que só desligam o interruptor da caixa de entrada e deixam um lacre como aviso. Agora, não precisa duas semanas de atraso que o corte já acontece.

Sinal de gestão diferenciada: uma regra básica da Economia empresarial é que poucas medidas são mais rentáveis e lucrativas do que acelerar o fluxo de caixa. Sobretudo num país como o nosso, que paga as taxas de juros mais elevadas do Planeta.

Aqui, valem ouro 15 dias a mais com dinheiro em caixa!

Anúncios