Novo Hamburgo –

Cara, nessas de ser idoso, aposentado e desempregado, fiz passe livre e tou andando de ônibus pra lá e pra cá. Virei usuário do paradão. E hoje reparei na obra de restauro da Casa das Artes, que a dra. Anita, quando secretária de Cultura da cidade, conseguiu encaminhar, com a ajuda apaixonada da arquiteta Hannelore Tessmer.

Tirei um retrato, pra mostrar como já recuperaram aquela parte que tinha desabado. O ritmo das obras, lá dentro, tá ainda mais avançado. Se depender só da Arquium, empresa que está tocando o trabalho, a inauguração sai mesmo em dezembro deste ano.

me preocupa um pouco o fato de a AES Sul, que canaliza os recursos através de incentivo fiscal não estar mais cuidando da distribuição de energia na cidade, substituída pela RGE.

De qualquer forma, tenho certeza de que a Administração Espetáculo da prefeita Fátima vai cuidar de manter uma imagem de super eficiência (… o investimento direto da Prefa de Novo Hamburgo é pequeno, por ser só contrapartida…) e vai ajudar a manter os prazos.

Enquanto isto, é bem bom o povo da cultura se ligar. Este lugar tem tudo para ser um excelente ponto de cultura POPULAR, porque tira nota 10 em acessibilidade para o pessoal que anda de ônibus. Em compensação, não passa de nota 03 em acessibilidade para quem anda de carro, porque o estacionamento, ali, não é muito fácil.

Então, o lugar é ideal para rodas de samba, ponto de referência para a turma do hip hop, saraus sertanejos, gaudérios, enfim…

Mas a concepção que está rolando é de uma arte bem erudita (e a crítica, aqui, não vai para a atual administração. Eu mesmo, como secretário da Cultura até o último dia de 2016, não encaminhei esta discussão com a força necessária). Nada contra o erudito. Aliás, a Casa das Artes pode proporcionar ótimos namoros entre o erudito e o popular e nesta transa se geram lindas novidades!

De qualquer forma: Vamos ‘se’ ligar.

E O PRÓXIMO PASSO?

casa-flo-imp

E, bem encaminhado o restauro da antiga SEMEC II, já era bom pensar no próximo passo. Tem aquela casa no Parque Floresta Imperial. O prefeito Lauermann, no seus últimos meses, acertou com a Comusa a administração, a recuperação e a conservação do Parque.

A recuperação da casa faz parte do acordo. Mas tem que ter um cuidado. A casa é patrimônio histórico… e dos mais importantes (exige cuidados especiais, pois é idosa que nem eu!). E é importante, também, pensar na coerência entre o uso que se queira fazer dela e o uso real do Parque, que tem uma irresistível vocação familiar.

Pessoalmente, eu cheguei a pensar e até planejar transformá-la num Centro de Cultura Popular, inclusive com uma biblioteca/discoteca/videoteca sobre este tema. Na real, porém, acho que o ideal seria retomar o antigo uso de Biblioteca Infantil, acrescentando filmes e discos também ao seu acervo.

ANTES DE TUDO, PORÉM…

a prioridade máxima me parece ser a Casa da Praça, ali onde era a sede dos Meninos Cantores, hoje ocupada com dignidade, generosidade, luta e sabedoria por um coletivo crescente de artistas da cidade…

Na foto, a Orquestra de Sopro tocando na Casa da Praça. Tem a ver com o próximo comentário. Isto, sim, é Cultura. Isto, sim, é emocionante.

orquestra-na-casa-da-praca

AFINAL, O QUE É CULTURA?

Tem gente trabalhando ativamente na defesa do show proposto pela nova antiga Secretária de Educação para recepcionar professoras e professores no início do ano letivo. (* Observação: a Prefa já cancelou o show. De nada adiantou a força tarefa).

Ficam escrevendo que precisa investir em Cultura, que Educação e Cultura tem que andar juntos, que tem que valorizar o Magistério, etc. etc. etc.

Me desculpem, mas o ponto não é este. O ponto é gastar R$ 44 mil num show da Família Lima. Tá muito caro. Isto é um super cachê. É mais do dobro do que cobra a grande maioria dos artistas e grupos já consagrados do Rio Grande do Sul.

Além disto, coerente com a filosofia de trabalho que vem marcando a administração-espetáculo da nossa prefeita 20 por cento, é muito mais show do que Cultura. Com esta grana, os artistas da cidade produziriam rapidamente um evento maravilhoso para emocionar, inspirar, motivar, arrancar lágrimas e sorrisos.

Isto é muito sério. A gente escreve com bom humor, mas, por favor…

FIASCO

A gente fica criticando os outros e pisa no tomate logo de largada. Nesta madrugada eu publiquei o primeiro texto deste meu Querido (?) Diário e lasquei a data de 27 de janeiro (que é hoje). Mas foi escrito ontem. Já corrigi. 

Anúncios